# 35

Era grande e bem constituído.

 

Cenho sempre cerrado e boné com a pala a ensombrar ainda mais os óculos escuros, espelhados.

 

Assustava.

 

Numa rixa, há anos, tinha levado uma facada na boca.

 

Tiveram que fazer laringuectomia e cortar-lhe um pedaço da língua.

 

Desde então, custava-lhe muito dizer os éles. E não só.

 

Então, preferia escrever.

 

Quando vinha à consulta, trazia uma lista das queixas, escrita num caderno. Colocava-o sobre a secretária, virado para mim e dizia vamos lá a ver isto.

 

E eu ia.

 

Que remédio...

publicado por artur às 18:18 | link do post | comentar