# 33

Tinha uma doença tão esquisita que ainda não havia nome para ela.

 

Conseguiu, por isso, ser reformada por invalidez antes dos 40 anos.

 

Sentia dores nas articulações, nos músculos, nos ossos.

 

Dores que a impediam de fazer qualquer tipo de esforço, a não ser apanhar a camioneta e ir para a praia, torrar ao sol.

 

Dores que a faziam arrastar-se até ao Centro Comercial, onde passava tardes a olhar para as montras.

 

Só muito mais tarde lhe deram um nome à sua doença e o nome era fibromialgia.

 

Piorou muito.

 

O nome da doença impunha respeito e mais invalidez.

 

Passou a ir às danças de salão apenas três vezes por semana, mas não desistiu das sevilhanas.

 

Parece que lhe fazia bem aos calcanhares.

publicado por artur às 19:37 | link do post | comentar