# 29

Desde que teve aquele herpes zooster na testa que começou a atribuir significados estranhos a coisas simples.

 

Aquelas pedras, no chão, a caminho de casa - quem as lá teria posto?

 

E aqueles ruídos da madeira a estalar durante a noite - qual seria o objectivo?

 

Já no que respeita àquelas sombras, mesmo à porta de casa, não tinha dúvida que queriam dizer alguma coisa.

 

Desde que o herpes lhe enchera a testa de pequenas vesículas que o seu pensamento nunca mais ficou descansado. Sentia uma coisa a passear por ali, pelo couro cabeludo, uma coisa que era difícil de explicar.

 

Vivia sozinho, com uma filha deficiente e, pela primeira vez, começou a pensar que as coisas são como são porque há forças superiores, que nos controlam e dominam e condicionam.

 

Suspeito que já oiça vozes, mas ainda não acredita nelas.

publicado por artur às 16:39 | link do post | comentar