# 2

J.A. era um revoltado.

 

Culpava os políticos de direita - que eram todos, menos os do PCP - de tudo o que lhe corria mal, desde a reforma exígua aos níveis de glicémia.

 

Exaltava-se com a mais pequena coisa e, se pudesse, teria feito a revolução sozinho, embora eu suspeite que, à última hora, não fosse capaz.

 

Estava sempre a escrever uma carta para enviar à Assembleia da República, a descompor os deputados, a propósito disto ou daquilo.

 

Tenho quase a certeza de que nunca enviou nenhuma.

publicado por artur às 11:48 | link do post | comentar