# 21

Nunca teve jeito para nada, sobretudo para trabalhar.

 

Era conflituoso e intolerante, explodindo com facilidade. Rastilho curto.

 

Achava que todos eram incompetentes, que tudo estava mal organizado, que o mundo inteiro estava contra ele.

 

Começou por trabalhar no comércio, vendendo roupa num armazém popular.

 

Desistiu. Não tolerava o patrão, os horários, os clientes.

 

Trabalhou depois numa empresa de mudanças, mas era trabalho pesado. Que mania, as pessoas viverem em andares altos, em prédios com escadas estreitas! Que mania, os móveis serem tão pesados!

 

Tentou mais coisas, sempre sem resultado.

 

Foi guarda de uma garagem, mas eram muitas horas fechado. Foi guarda de um parque de campismo, mas eram muitas horas ao sol. Foi porteiro, mas eram muitas horas sentado. Foi segurança, mas eram muitas horas em pé.

 

Zangado e num impulso, decidiu enforcar-se.

 

Também para isso não teve jeito. O nó ficou lasso, a corda não aguentou o seu peso.

 

Ficou apenas com o hematoma no pescoço.

 

E desempregado.

 

 

publicado por artur às 16:50 | link do post | comentar