# 13

Aos 26 anos, A.P. estava reformada por invalidez.

 

Doença psiquiátrica, disse a junta médica.

 

Era o tempo em que se conseguiam reformas por invalidez com alguma facilidade.

 

E sempre houve gente que não se importa de ser apelidada de maluqinha, desde que isso proporcione uma reformazita.

 

Era pouco mas dava para os alfinetes, que o pai concedia o resto.

 

Boa vida em troca de dependência.

 

Nos 30 anos seguintes, foi uma serva do pai, fazendo apenas o que ele queria que fizesse.

 

Enfim, nem tudo. Casou-se com o homem errado.

 

Claro que qualquer homem, que não o pai, seria sempre errado e o pai não descansou enquanto esse homem não desapareceu de cena.

 

Ficou uma neta que, assim que compreendeu o esquema familiar, passou ela a dominar.

 

Agora, que o patriarca da família morreu, é ela quem manda na vida de A.P.

 

Afinal, a junta médica tinha razão: só alguém com doença psiquiátrica atura uma vida destas...

 

 

publicado por artur às 13:36 | link do post | comentar