# 10

Tinha um dente de ouro mas já nem se lembrava quando o mandara fazer.

 

Fora, certamente, nos tempos em que os estaleiros trabalhavam 24 horas por dia. Ganhou muito dinheiro, nessa altura.

 

E gastou muito dinheiro, também: aparelhagens topo de gama, televisões para todas as divisões da casa, motas para os filhos. E o dente de ouro.

 

Lá da terra mandou vir primos e primas e a todos acolheu na sua casa, a custo zero.

 

Depois, os estaleiros fecharam e foi obrigado a emigrar novamente.

 

Em Itália, sofreu um acidente de trabalho: queda com traumatismo craneano e perda de conhecimento, seguida de convulsões.

 

Nunca mais foi o mesmo.

 

Regressou a casa com uma pequena indemnização.

 

Os filhos têm a vida deles. Os familiares, também.

 

Sozinho, resta-lhe o dente de ouro.

 

publicado por artur às 10:32 | link do post | comentar