# 48

O Sr. Armindo andava com uma tosse que o tirava do sério.

 

Dizia ele que a malvada era tão intensa que quase lhe apetecia dar um tiro na cabeça.

 

Não conseguia dormir, urinava-se todo, evitava andar de transportes públicos para não assustar os companheiros de viagem, fugia de salas de espera e até ao pé da mulher e da filha se sentia incomodado por estar sempre a tossir.

 

Pensei que podia ser efeito secundário do inibidor do enzima de conversão, que muitas vezes provoca tosse e mudei-lhe para outro anti-hipertensor.

 

Sem resultado.

 

Claro que não valia a pena experimentar anti-tússicos e anti-histamínicos. Isso já o Sr. Armindo tinha tentado, também sem resultado.

Pensei depois em refluxo gastro-esofágico que, em algumas situações provoca tosse e prescrevi-lhe um inibidor da bomba de protões.

 

Sem resultado.

 

Desisti.

 

Ontem, o Sr. Rodrigues voltou à consulta.

 

Sem tosse.

 

E informou-me que tinha resolvido o problema com uma receita caseira. Um chá.

 

Exigi que me fornecesse a receita milagrosa.

 

Palavras dele: «250 gramas de açúcar mascavado, uma cerveja preta, das pequenas, uma laranja e três folhas de ôcalitro».

 

Bastaram duas colheres desse chá ao deitar, durante cinco dias, e a tosse desapareceu.

 

O segredo, claro, está no ôcalitro…

publicado por artur às 21:03 | link do post | comentar